Publicações A ACIC - Pronunciamentos do Presidente

16/09 - Artigo publicado Diário Catarinense

Pronunciamentos do Presidente
Publicações

Data 26/09/2016 Texto ACIC Compartilhe
16/09 - Artigo publicado Diário Catarinense

Estabilidade e confiança

César Smielevski - Presidente da ACIC

A estabilidade é condição sine qua non para o desenvolvimento econômico de qualquer país. Fora deste princípio, é prejudicada a confiança em expandir os atuais negócios e novos investimentos ficam adiados até que o ambiente se normalize e a roda dinâmica do mercado gire sem sobressaltos e amarras. Superada a indefinição política vigente até o último dia de agosto, fato indubitavelmente responsável pela instabilidade dos últimos semestres, devemos agora nos valer da tendência de alguns indicadores que apresentam, embora de forma tímida, sinais de melhora. Ainda com saldo negativo de 3,1% no acumulado do ano, a produção industrial mensal, importante indicador de análise pelo poder de alavancagem dos demais setores, apresentou aumento de 0,1% e 0,7%, respectivamente, para julho e agosto, conforme o IBGE. Publicação da Anfavea informa que a venda de veículos novos em agosto foi 1,37% acima do registrado no mês anterior, mesmo com a pouca demanda carioca devido as olímpiadas no período. Otimistas projeções foram corroboradas pela FGV com os 86,9 pontos do índice de confiança da indústria para agosto, 13,2 acima se comparado com o mesmo mês do ano passado. Similar comportamento apresentam os índices que expressam a confiança do comércio, serviço e também dos consumidores. Estes últimos resgatando paulatinamente a condição da adimplência, habilitando-os novamente ao consumo. Enquanto empresários, estas notícias devem nos influenciar para que implementemos ações que melhorem ainda mais esses indicadores, tornando duradouro esse momento, com abertura de vagas de trabalho e consequente geração de renda. Há, sem dúvida, luz crescente no fim do túnel, mas não podemos permitir que ela ofusque nosso compromisso de exigir dos governantes o equilíbrio fiscal, as reformas da previdência, do sistema tributário e da legislação trabalhista. Que trabalhem para garantir um ambiente em que a segurança jurídica seja elemento inconteste para tornar o Brasil um porto seguro para investimentos nacionais e internacionais. Virada a página da instabilidade política, essas seriam as demonstrações que o setor produtivo precisa ver de fato para que a confiança seja presença definitiva nesse final de ano e, principalmente, no planejamento de 2017.