Publicações A ACIC - Pronunciamentos do Presidente

20/05 - Artigo publicado no Diário Catarinense

Pronunciamentos do Presidente
Publicações

Data 20/05/2017 Texto ACIC Compartilhe
20/05 - Artigo publicado no Diário Catarinense

Mobilidade em Centros Urbanos

 

César Smielevski
Presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic)

 

Embora ocorrendo com certa regularidade nos últimos anos, ainda nos surpreende como modelos de negócios tradicionais e fortemente dependentes da ação humana, vem sendo radicalmente alterados em suas operações, como o ensino, transporte e hotelaria, para citar alguns exemplos. É a sentença da “destruição criativa” àqueles que não se reinventam, colocando em xeque empresas ou setores até então consolidados, e por isso a mercê de tecnologias que utilizam a internet das coisas, para atender clientes via aplicativos.

 

Como consumidores ou empresários, resta-nos aceitar essa realidade e aproveitar as oportunidades que essa onda propícia. No entanto, é determinante que analisamos esse fenômeno, considerando a questão conceitual, para entender sua essência. É sem propósito fabricarmos selas, quando o transporte não mais baseia-se em animais. O exemplo é simplório, mas vale o princípio para iluminarmos outro debate importante: a mobilidade em centros urbanos. Dedicar os nobres espaços desses locais para tráfego ou estacionamento de veículos automotores, soa obsoleto.

 

Comum em cidades de médio e grande porte da Europa e América do Norte, esses espaços devem ser reservados na sua totalidade à convivência dos cidadãos para desfrutar do lazer, dos serviços ofertados e dos postos de trabalhos ali localizados, já que a ausência de automóveis, pelo espaço desmesurado que ocupam para transportar uma única pessoa, aumentaria a disponibilidade de área. Temos que inovar nessa matéria, prover nossos centros, desde os bairros, de transporte público de qualidade; estabelecer planos diretores macrorregionais para não massificar alguns poucos centros em detrimento dos menores que compõem a maioria; construir uma rede de ciclovias seguras para estimular essa prática fortemente difundida em tempos de sustentabilidade ambiental e, acima de tudo, ousar, como colocar na pauta nacional uma legislação para transporte individual por meio de drones, a exemplo do que estão fazendo alguns países. Diferente da atual discussão que somente procrastina o problema, essas medidas buscariam efetivamente a solução, por estarem em conformidade ao novo conceito.